Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

sábado, 26 de novembro de 2016

# Conhecemos de fato a Deus?

A um bom tempo, não escrevo nesse blog. Bem verdade é, que estive bem ocupado com outras responsabilidades que qualquer homem de bem, tem como trabalho e família.

www.pitacocristao.blogspot.com

Entretanto, sinto-me um tanto quanto culpado, pois uma de minhas paixões é escrever. 

Penso que também é uma responsabilidade.

Digo responsabilidade, por causa da necessidade em servir o Reino de Deus com os dons que o Senhor nos deixou: seja pregar, evangelizar, cantar, ou mesmo redigir um simples blog.

E caso, esses dons não sejam gastos enquanto caminhamos, ficamos como alguém que enfia na terra um bem de valor. 

O servo mal, segundo as parábolas de Jesus, poderia ter feito muito se cresse um pouquinho em sua capacidade de trabalhar aquele dom. 

Poderia ter duplicado, triplicado ou mesmo recebido pequenos juros que o permitiriam não se envergonhar perante o seu senhor.

No entanto, não agiu assim.

Bem verdade é que se aquilo que recebemos de cima, não é colocado a prova aqui embaixo, acaba-se pelo desuso.

Nem sei se essa palavra existe, mesmo assim deixarei aqui registrado, para que em nossa mente fique bem explicitado o sentido contrário de tudo isso.

Afinal, muitas vezes clamamos:  

- Senhor, Senhor! 

... e lá no fundo, não temos tanta certeza se é sinceridade falsa ou hipocrisia verdadeira.  

Duro esse discurso? Podes o suportar?

É como se O confessássemos com os lábios, mas não com a vida. 


E isso, caro irmão, é um perigo. 

É viver em cima da tênue linha que separa a paisagem do precipício.

Por causa desse sentimento, voltei a escrever nem que sejam breves linhas. Pois agindo assim, vou gastando, desgastanto e aperfeiçoando os dons que me foram confiados.

E o melhor é que, nesse processo de crer, confiar e esperar, coisas boas vão surgindo e se acumulando até Seu retorno.

Não que a data de Sua Volta seja o mais importante, pois o importante é o Senhor nos encontrar fazendo assim. 

Por que muitas vezes, confundimos a fé, com idas e vindas a templos, correntes de orações intermináveis, estudos da palavra exaustivos ou muita grana depositada no bauzinho.

Inconscientemente acreditamos, que a prática de tudo isso, preenche o ser naquilo que conscientemente acreditamos ser a Verdade.

Pura ilusão!

É preciso parar com esse negócio que diz que aceitar a Jesus é levantar a mão, ou caminhar do banco para o púlpito.

Aceitá-Lo envolve um processo muito mais sutil, profundo e que perdura toda a vida.

Não existe mágica, mas existem muitos atalhos:

- líderes fascinantes, doutrinas fast-food, igrejas poderosas e outras variáveis que só nos fazem escorrer por dentro.

- o ralo nunca ficou tão entupido!

E o que fica, é a sensação de uma mulher, que gasta tudo com médicos, sem porventura receber o anestesiamento da própria dor. 

Entre nós e ela, a solução dá na mesma:

- tocar em Jesus! 

Pegue aquela Bíblia velha, perdida em meio a tantos livros evangélicos, inúmeras fitas de pregações e soterrada por envelopes de campanhas.

Abra o Novo Testamento.

Leia os evangelhos sobre a vida de Jesus, aprenda Dele. 

Sem ansiedade ou preguiça,vá lendo.

Não se perca ou se ocupe com histórias grandiosas como a fé de Abraão, Moisés ou a força de Sansão. Simplesmente siga o filho do carpinteiro.

Lenta e repetidamente, crie um corpo interior de quem Ele é de fato.Perceba, com quem anda, como olha, e quais são Seus ensinos. 

Atente para as transformações daqueles que O seguiram e O obedeceram. 

Introjete Suas Verdades, ande em Suas Palavras e obedeça-O mesmo doendo.

Vá se aconchegando debaixo das Asas do Salvador sem medo de descobrir, entender e discernir aquilo que é, daquilo que nada significa. 

Pois o propósito de tudo isso, é simples!

Trazer luz e libertação do deus imaginário e pagão que cultuamos sem perceber e que o tempo de incredulidade instalou em nós.

Ao mesmo tempo, provocar mudanças profundas e duradouras naqueles que ousam contemplar a face de Cristo, sem medo de se enchergarem Nele.

Nenhum comentário :

Postar um comentário